Encontrar o John Winchester (protagonizado por Jeffrey Dean Morgan) foi o objetivo dos rapazes na 1ª temporada que acabou por ser tão difícil como conseguir que ele ficasse por perto quando foi descoberto. A reunião da família Winchester foi pouco vivida: na 1ª temporada acabou com um acidente de carro e um destino incerto para os três. E depois lá estava o pacto demoníaco que o John tinha feito com o mesmo monstro que andavam a caçar.

JENSEN ACKLES: Tudo até àquele ponto era à volta de encontrar o pai. Encontramos pai, continuamos a lutar como uma unidade, e depois perdemos o pai, e eramos dois órfãos.
JARED PADALECKI: E eu acho que foi a primeira vez que trouxemos alguém de volta da morte, e foste tu [para Ackles].
ACKLES: Eu morri no acidente de carro e ele trocou a sua vida com Azazel.
PADALECKI: Eu acho que foi a primeira vez que nós vimos um personagem principal a morrer e a voltar à vida. E isso foi um ato de fé. Então contamos a história dos Reapers e o que acontece com a alma.
ACKLES: Foi quando entramos na vida após a morte.
PADALECKI: : Isso foi uma grande mudança de título no que Supernatural podia fazer…
ACKLES: Com a introdução do Inferno, e dos pactos com os demónios – o que é engraçado porque tu pensas nisso agora, e o [criador] Eric [Kripke] deve ter sempre sabido sempre porque a mãe fez o pacto com o demónio de olhos amarelos.

Ler mais

29 de Setembro de 2017 Micaela Oliveira Samantha Highfill, Entertainment Weekly
12ªTemporada, 1ªTemporada, 2ªTemporada, 5ªTemporada, 6ªTemporada, 7ªTemporada, Como ator, Supernatural

Supernatural: O elenco e os criadores olham para trás ao fazer os 200 episódios e ponderam o Futuro

Refletindo sobre o facto de estar a alcançar o 200º episódio
[…]
Jensen Ackles (“Dean Winchester”): Ainda não sei o que está a acontecer. Toda a gente diz “200 episódios!” e eu penso, “A sério? Oh sim, fizemos 200 episódios. Deus, pensei que só estávamos no 100º!” Jared e eu temos esta fala… Nós não a inventamos, mas é assim “O sucesso é o que acontece quando tens estado demasiado ocupado para reparar nisso.” Eu sinto que ambos temos estado muito ocupados, sempre com as cabeças nos papéis a tentar trazer o que nos dão por escrito à vida, sempre a gravar episódios, a trabalhar com a equipa. E depois de repente é do tipo, oh, estamos no episódio 209! Pensamos, “O que aconteceu?” Bem ouve, não podemos parar e cheirar rosas porque os episódios 210, 211 e 212 já estão prontos, por isso continua amigo.” Nós não temos tempo. Assim que a serie acabar teremos tempo para cheirar rosas.

O quão longe pode Supernatural ir?
[…]
Jensen Ackles: Eu ainda adoro encenar esta personagem. Ele não é aborrecido para mim. Eu divirto-me a fazer de Dean. Ainda me dou bem com as pessoas com que trabalho. Os fãs são fantásticos. Esta serie mudou a minha vida. Eu sinto-me tão honrado, e agradecido, e humilde com o que este programa me deu e não estou aborrecido. Algumas pessoas pensam. “Não preferias estar num programa mais falado ou a fazer filmes?” ou algo do género, e eu digo, “Não, eu estou a trabalhar! Eu sou um ator.” Olha, só porque a serie não é o número um na televisão, e só porque não estou no melhor programa de fim-de-semana, não significa que eu não esteja a fazer o que amo. Eu continuaria a fazer a mesma coisa mas correria o risco de A: não gostar das pessoas com quem trabalho, B: trabalhar num programa onde não goste da personagem, os escritores não escrevem a personagem para mim, seja qual for o caso. Neste momento estou numa posição muito boa e numa posição que faz pessoas que estão numa posição superior ter inveja, e eu estou bem com isso. Eu gosto do meu trabalho!

7 de Novembro de 2014 Sílvia Tavares Eric Goldman, IGN
10ªTemporada, Como ator, Supernatural

Jensen Ackles fala sobre como é ser diretor e sobre Supernatural

Ackles vai responder a umas perguntas, incluindo como é que o seu “Soul Survivor” é e não é o primeiro episódio da temporada 10.

Jensen Ackles: Não é o primeiro episódio. Vai ser o terceiro, mas foi o primeiro que filmámos para a 10ª temporada. Eles basicamente fizeram-me um favor muito simpático por deixarem que o episódio que eu ia dirigir ser o primeiro a ser gravado, para que nos pudéssemos preparar sem ter de encenar noutro episódio. Porque de outra maneira, eu teria de estar a trabalhar como ator no episódio 2, tentado preparar o episódio três enquanto diretor, e isso iria ser muito, mas muito difícil. Por isso eles puseram o meu à frente na lista para permitirem que eu viesse um pouco mais cedo das minhas férias, para me preparar, gravar, e agora, hoje estamos a começar as filmagens do primeiro episódio, no qual eles simpaticamente não me incluíram nem ao Jared para que pudéssemos passar o dia com The Television Critics Association..

Depois de participar em SUPERNATURAL desde a 5ª temporada, Mark Sheppard está muito presente nesta temporada. Será que a série decidiu que não conseguia viver sem ele, ou …?

Jensen Ackles: Eu acho que é o fim de um início (risos). Não, ele já está contratado, tal como Misha (Collins, que faz do anjo Castiel), e eu não podia estar mais entusiasmado. Pessoalmente, acho que é algo que já devíamos ter feito à alguns anos atrás, porque acho que eles são essenciais na história e para o avanço dos rapazes. Vai fazer definitivamente momentos interessantes este ano, tendo os dois livres para nós a tempo inteiro. Não vamos ter de partilhar Mark com mais nenhuma serie ou ter de partilhar Misha com outra coisa qualquer, por isso o facto de eles estarem contratados é uma vantagem para nós.

Tem algum momento favorito destes 10 anos de SUPERNATURAL?

Jensen Ackles: O meu momento favorito? Isso é virtualmente uma pergunta impossível de responder (risos). Houveram tantos, mas tantos momentos. Pessoalmente, eu diria que foi o facto de casar (com Danneel Harris) e ter a nossa filha. Profissionalmente, é uma coleção de momentos fantásticos. Eu dou-me genuinamente bem com Jared, uma relação que todos querem ter com os seus parceiros, e isso faz com que trabalhar seja divertido. Nós rimos-nos com a nossa equipa de câmera, com os rapazes do som, com o departamento que trata dos cenários, com os electricistas e com toda a gente, e nós somos uma família disfuncional feliz. E acho que o facto de nós termos esta relação é provavelmente a melhor coisa que me aconteceu desde o início da série.

Ler mais

18 de Julho de 2014 Sílvia Tavares Abbie Bernstein, Assignment X
10ªTemporada, Como ator, Como diretor, Supernatural

Jensen Ackles fala sobre representação

“O meu pai é ator, por isso trouxe-me para esta agência quando eu era novo. Não era algo que eu quisesse fazer até chegar ao ensino secundário, quando comecei a participar no teatro e comecei a gostar. Depois um agente encontrou-me e quis que eu fosse com ele para Los Angeles e tentar. Eu dei a mim seis meses, mas no prazo de uma semana arranjei um trabalho.”

“O que eu mais gosto é de viajar para sítios diferentes e conhecer pessoas novas. Para mim, o mais importante são as experiências de vida, e eu estou muito grato que ser ator me dê tantas experiências interessantes e marcantes.”

“Quando começámos, nós sabíamos que a série ou ia ter sucesso ou ia ser um falhanço, e nós precisávamos de encontrar uma boa audiência para fazer com que sobrevivêssemos. E eu acho que conseguimos fazer isso.”

“Comédia, Drama, Westerns (filmes sobre a vida no oeste da América nos anos 19, usualmente envolve cowboys), ficção científica… é tudo bom desde que a história seja apelativa e a personagem interessante para mim. Mas eu gosto muito de ação.”

20 de Junho de 2014 Sílvia Tavares Yareah Magazine
Como ator, Infância, Interesses

Sobre ser ator e o seu passado

“O meu professor de drama convidou-me para fazer parte da peça anual. Eu pensei: ‘Este é o meu último ano. Já estou no basebol há três anos.’

“Eu fui ter com o meu treinador. Eu pensei que ele me ia arrancar a cabeça. Surpreendentemente, ele disse, ‘Fazes bem. Só andas no secundário uma vez na vida.'”

Cantar no West Side Story em frente aos seus confusos colegas numa noite de abertura foi complicado.

Ler mais

21 de Junho de 2010 Sílvia Tavares Sarah Rodriguez, NZ Herald
Como ator, Infância

Entrevista à Venice Magazine

Venice: Parabéns por outra temporada maravilhosa de Supernatural e pelo My Blood Valentine 3D. Uma coisa que me impressionou no filme foi que os efeitos 3D não eram apenas coisas a vir na tua direção.
Jensen Ackles: Nunca queres que fique demasiado fictício. Eu lembro-me de falar com o diretor e numa das primeiras chamadas que tivemos ele foi muito claro como isto iria acontecer. Ele não queria coisas demasiado fictícias mas ele queria respeitar os antigos filmes de terror e incluir alguns desses óptimo clichés que os iria honrar.

Eu adoro como tudo está mesmo à tua frente, como quase que consegues esticar-te e tocar tudo. Isso tem de ser a onda do futuro.
Estou surpreendido por terem demorado tanto tempo para inventar o 3D. Eu acho que com a nova tecnologia… eu nem consigo imaginar como será o futuro.

Sinceramente, quando ouviste falar deste projeto alguma vez pensaste, “Temos mesmo de refazer este filme?”
Bem, isto é algo que eu só expressei com os meus amigos, e conhecidos. ‘Deus, é assim tão complicado de ter novas ideias hoje em dia que continuamos a refazer ou a roubar ideias ou séries de outros países? A escrita é tão vazia hoje em dia?’ Mas quando pensas no assunto, e no que realmente me espanta é que este tinha um seguimento de culto mas não era um filme muito, muito bom. O My Bloddy Valentine não foi um grande sucesso. Foi do tipo do Friday the 13th ou Nightmare on Elm Street.

Eu sou velho e gosto de filmes de terror, mas quem é que se lembra dos originais?
Certo, existem poucas pessoas que se apegaram a esses pequenos e únicos filmes de terror, e este é um destes. E acho que em si era único, e aplicar toda esta tecnologia moderna nele e usar o formato 3D, fiquei interessado desde o início.

Há uma cena do hospital onde a tua personagem diz que não vai vender a mina e o Kerr Smith aparece do nada por detrás de uma cortina e toda a gente ri porque é tão ridículo.
E mesmo no início quando o Tom Atkins aparece e ele é encriminado com o coração na janela, há uma quantidade certa de mozzarella espalhada pelo filme para que as pessoas percebam que não estamos a tentar que tudo fique demasiado sério e é uma memória de um filme feito de maneira a que possas relaxar e admirá-lo. É como uma viagem.

Talvez por estares nele, mas quando a tua personagem regressa à cidade não se consegue pensar noutra coisa senão que é um trabalho para os irmãos Winchester.
Verdade. [risos]

Ler mais

1 de Fevereiro de 2009 Sílvia Tavares Jose Martinez, Venice Magazine
4ªTemporada, Como ator, Interesses, My Bloody Valentine, Supernatural

Respondendo a Questões de Fãs

Melanie oriunda de Buffalo quer saber, o quanto colocas na tua personagem, em relação às falas, e mesmo no guarda roupa?

Bem, eu diria que a minha ajuda em relação à minha personagem acontece acidentalmente. Por exemplo, posso adicionar algumas palavras ou frases durante a filmagem. Se eu utilizar um certo objeto ou uma certa peça de roupa ou assim, os escritores aceitam. Eles vêem e dizem, “sabes que mais? Eu gosto disso. Vamos usá-lo sempre, vamos escrevê-lo assim.” Por isso, a maior parte da minha ajuda são coisas espontâneas que me vêm à mente, ou que a cena apresenta, ou algo que iria fazer sentido com a maneira de agir da personagem, e depois os escritores ou dizem, “Hey, perfeito” ou “Não, não acho que a personagem fosse fazer isto,” estes homens têm estado a escrevê-lo desde o primeiro dia. Eles conhecem-no tão bem quanto eu, e nós estamos na mesma página. Nunca há discussões sobre o que a personagem deve ou não fazer, ou onde deve ou não ir, ou o porquê de ele estar a fazer o que faz.

Outra pergunta de alguém, cujo só tenho o nome de utilizador, e esse é JAcklesObsessed. Tens muitos fãs dedicados.

Essa pessoa deve ser a minha mãe. Ou o Jared.

Ler mais

7 de Abril de 2008 Sílvia Tavares John Kubicek, BuddyTV
Como ator, Fãs, Supernatural

Entrevista com Jensen Ackles e Jeffrey Dean Morgan

Jeffrey Dean Morgan: Wow, Jensen Ackles. Como estás?
Jensen Ackles: Eu estava mesmo agora a falar de ti, seu idiota.
Jeffrey Dean Morgan: Sim, estavas a dizer coisas boas?
Jensen Ackles: Aqui, senta-te. Jeffrey Dean Morgan, pessoal. Protagoniza o pai na série.
Jeffrey Dean Morgan: Pai morto.
Jensen Ackles: Pai morto.
Jensen Ackles: Como estás?
Jeffrey Dean Morgan: Bem, meu. E tu como estás?
Jensen Ackles: Como é que esse café te anda a tratar?
Jeffrey Dean Morgan: Muito bem.

Parece que estava a precisar.
Jeffrey Dean Morgan: Nós tivemos uma bela noite ontem
Jensen Ackles: Sim, nós tivemos uma bela noite ontem, não tivemos?
Jeffrey Dean Morgan: Sim. Sim. Sim.
Jensen Ackles: Hey, bem, sabem, é o que acontece quando os filhos saiem com os seus pais, certo?
Jeffrey Dean Morgan: Sabem, nós juntámo-nos para uma saída à noite.
Jensen Ackles: Sim, é verdade. Eu estava mesmo a falar de como tu “morreste”.
Jeffrey Dean Morgan: Sim.
Jensen Ackles: Sim.
Jeffrey Dean Morgan: Sim.
Jensen Ackles: E como isso me afetou.
Jeffrey Dean Morgan: Ele anda com problemas. Ele anda com muitos problemas.
Jensen Ackles: Muitos problemas, sim. Dean está definitivamente a ter problemas. Eu só estou a ter problemas porque já não posso sair com ele.
Jeffrey Dean Morgan: Oh, Deus.
Jensen Ackles: Eu na verdade não gosto de ti. Só estou a dizer isso.

Ler mais

29 de Janeiro de 2007 Daniela Godinho TV Week
Como ator, Supernatural

Assombrado

O sexy ator Jensen Ackles partilha as suas experiências assustadoras de fazer o papel de um irmão caçador de fantasmas, em Supernatural.

Supernatural é um dos programas mais assustadores na televisão, com um novo demónio ou monstro assassino a aparecer todas as semanas, mas após de ver muitos filmes de terror, a estrela Jensen Ackles pensou que era imune ao susto. Isso foi até ao dia em que ele filmou um episódio num hospício…

“Aquele episódio, o hospício, foi filmado num instituto mental abandonado e era tão assustador que o departamento de artes não teve de fazer nada,” diz ele, “era um edifício enorme com cinco andares, completamente deserto e sem uso. Nós estávamos a filmar no terceiro andar e quando eles fizeram a pausa para o almoço, toda a equipa começou a dirigir-se para as escadas, por isso decidi ir por um atalho nas escadas da parte de trás. Então eu desci e estava tudo escuro, e tinha um corredor longuíssimo com uma pequena luz no fim do mesmo, era mesmo assustador. Comecei a caminhar um pouco mais rápido, e depois dei por mim a correr. Por isso foi um pouco assustador. Fez com que ficasse todo arrepiado.”

Ler mais

1 de Setembro de 2006 Sílvia Tavares Steven Eramo, TV Zone
Como ator, Infância, Interesses, Supernatural

Sex Appeal de Supernatural

Mesmo depois de passarem uma noite num bar britânico a beber cerveja os irmãos de Supernatural Jared Padaleck e Jensen Ackles ainda espalham sensualidade. Sozinhos num quarto, a Axm pede ao par oriundo do Texas para darem tudo esta noite como um casal de gays. Por alguma razão eles recusaram.

As novas estrelas americanas, Jared de 24, e Jensen de 28, entraram rapidamente no nosso quarto luxuoso que era a definição casual de apelo sexual. E o mais irritante é que eles não sabem o quão sexy’s eles são. É difícil de pensar noutra coisa para além de sexo, por isso não nos preocupamos.

Vocês ficaram em segundo lugar num site da internet dos rapazes mais sexy’s da televisão, mesmo atrás de Patrick Dempsey, da Anatomia de Grey…

Jared: Estás a dizer que fomos derrotados pelo Doutor Mcdreamy?

Jensen: Hey, é uma honra estás atrás dele.

Isso foi uma piada… Avançando, existem muitos fãs gays que se atiram a vocês?

Jensen: Isso nunca me aconteceu, pelo menos nunca reparei.

Jared: Isso acontece em Los Angeles, mas eles não chegam à minha beira e dizem “Sou gay, f*de-me”. Eles dizem: “Eu gosto muito desta série e o meu namorado também.” Eu conheci um rapaz que chegou à minha beira e disse: “Podes dar-me um autógrafo? O meu namorado vai ficar com tanta inveja.” Eles não se fazem a mim, mas as raparigas também não o fazem.

Ler mais

1 de Agosto de 2006 Sílvia Tavares Michael Reynolds, AXM Magazine
Como ator, Interesses, Supernatural